Guarani e Oeste empatam na abertura da 7ª rodada

Empate que não foi bom para ninguém. Guarani e Oeste abriram, nesta segunda-feira (31), a sétima rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. As duas equipes precisavam da vitória para se distanciarem das últimas posições, mas o resultado de 1 a 1, no Brinco de Ouro da Princesa, foi uma ducha fria nas pretensões dos times.

Com o resultado, o Guarani chegou a 4 pontos conquistados, e momentaneamente ocupa a 15ª posição. Dependendo dos resultados dos jogos de quarta-feira, o Bugre pode terminar a rodada na zona do rebaixamento. O Oeste agora soma três pontos e ainda não venceu na competição. O Rubrão é o penúltimo colocado.

O primeiro tempo foi morno. O Guarani apostou no toque de bola para tentar envolver o adversário, mas esbarrou nos próprios erros e em uma defesa que se mostrou sólida. O Oeste preferiu esperar o Bugre no início do jogo e foi se soltando aos poucos. Nos minutos finais da primeira etapa, o Rubrão criou a melhor chance, em um chute de fora da área de Fabrício Oya que parou na boa defesa de Rafael Pin.

O Guarani voltou melhor no segundo tempo. Logo aos 6 minutos, Lucas Crispim abriu o placar. Ele cobrou falta com perfeição, no ângulo esquerdo do goleiro Luiz. O Oeste começou a reagir abusando das bolas aéreas lançadas por Mazinho. De tanto insistir em cobranças de escanteio, o Rubrão empatou. Aos 29 minutos, Mazinho jogou a bola na área e o zagueiro Sidimar completou de cabeça para o fundo do gol.

Após o empate, nenhuma equipe teve forças para impor o ritmo de jogo e sair com os três pontos do Brinco de Ouro da Princesa. Na próxima rodada, o Guarani enfrenta o Operário sábado (5), às 19h, no Germano Krüger. Já o Oeste recebe o Juventude no mesmo dia, às 11h, na Arena Barueri.

Veja a classificação atualizada da Série B do Brasileiro.




Link do Autor

Corinthians e Cascavel vencem na Liga Nacional de Futsal

A noite desta segunda-feira (31) teve a emoção de dois jogos na Liga Nacional de Futsal (LNF). No primeiro deles, o Corinthians venceu, por 6 a 3, o Praia Clube pelo grupo A da competição. O Timão se recuperou da derrota na primeira rodada e conquistou seu primeiro triunfo na edição 2020, dentro do ginásio Wlamir Marques, em São Paulo. No outro jogo pelo grupo B, o Cascavel estreou no torneio vencendo, de virada, o duelo paranaense, por 2 a 1, contra o Marreco, em Francisco Beltrão (PR).

A goleada corintiana começou a ser construída no primeiro tempo. Com 5 minutos, o Alvinegro paulista vencia por 2 a 0 com gols de Henrique e Igor. Os mineiros descontaram com Zazá e empataram com Murilo, em tiro livre após a quinta falta adversária, antes do intervalo.

Na etapa final, Jackson Samurai recolocou os anfitriões na frente. Guilhermão entrou no jogo e ampliou. Instantes depois, Batalha fez o quinto e Samurai novamente chegou ao sexto. Quase no fim da partida, Murilo anotou mais um para o Praia e diminuiu o placar.

O Timão estreou com derrota para o Magnus Sorocaba, por 7 a 4, na última sexta (28), também em casa. O Praia, por sua vez, largou na LNF com um empate por 1 a 1 com o Real Brasília, na capital federal. A equipe de Uberlândia (MG) fez a segunda partida consecutiva longe de seus domínios.

No Paraná, o Marreco saiu na frente, aos 10 minutos do primeiro tempo, com Paulo Felipe. O Cascavel chegou ao empate só aos 12 do segundo tempo com Carlão, e a virada viria a um minuto do fim com Alexandre.

O jogo marcou a estreia do Cascavel na LNF, a equipe esteve em quadra pelo Campeonato Paranaense na última quarta (26), vencendo o Chopinzinho por 3 a 0. Já o Marreco soma a segunda derrota consecutiva. No último dia 23, foi derrotado por 2 a 0, para o Atlântico, em Erechim (RS).

Veja a classificação atualizada da LNF.




Link do Autor

Corinthians vence Flamengo no Brasileiro feminino

Não deu nem para respirar. Com 14 segundos de jogo, o Corinthians abriu o placar contra o Flamengo para iniciar a vitória de 3 a 1, na partida que fechou a sexta rodada do Campeonato Brasileiro Feminino. Com a vitória, o Timão pulou da quinta para a segunda posição na classificação, com 15 pontos, mesma pontuação do líder Santos. Já o Rubro-Negro permanece com 7 pontos, e termina a rodada na 12ª colocação.

A partida começou em um ritmo alucinante. Em apenas 10 minutos, o Corinthians já vencia por 2 a 1. O primeiro gol saiu aos 14 segundos. Vic Albuquerque roubou a bola, avançou e chutou forte de perna direita para vencer a goleira Kaká e fazer o primeiro do jogo. Foi o gol mais rápido da história do Brasileirão Feminino.

“Fico feliz em roubar a bola mais rápido do que a gente imaginava, consegui fazer o gol. Mas o nosso esquema é esse. A gente quer roubar a bola o mais rápido que consegue para chegar mais perto do gol com poucas jogadoras do time delas no campo de defesa. Fico feliz, tenho conquistado algumas coisas recentemente, estou muito feliz pelo futebol que estou desempenhando. Devo muito à minha equipe, aos treinamentos e sou muito grata a Deus por conseguir fazer o que venho fazendo”, disse Vic Albuquerque no intervalo da partida.

O segundo gol não demorou a sair. Aos 9 minutos, Adriana recebeu lançamento longo e finalizou com tranquilidade para ampliar. O Flamengo reagiu no minuto seguinte, com Jayanne. Mesmo diminuindo o placar, o Corinthians continuou melhor na partida, só que esbarrava nas boas defesas da goleira Kaká. Aos 27 minutos veio o gol que decretou a vitória. Andressinha recebeu passe de Juliete e tocou com categoria para fechar o placar: 3 a 1.

O Flamengo começou o segundo tempo partindo para cima do Corinthians. Aos 2 minutos, Ana Carla acertou o travessão adversário. Um minuto depois, Jayanne, de cabeça, obrigou Lelê a fazer boa defesa. Aos poucos, o ímpeto Rubro-Negro foi diminuindo e o Corinthians conseguiu controlar a partida até os minutos finais para conquistar a quinta vitória em seis partidas no Campeonato Brasileiro.

Na próxima rodada o Corinthians recebe o Cruzeiro, segunda-feira (7) às 19h no Parque São Jorge. O Flamengo vai até Manaus enfrentar o Iranduba, domingo (6) às 16h na Arena da Amazônia.

Veja a classifiação atualizada do Brasileiro Feminino.




Link do Autor

Governo inicia campanha da Semana Brasil 2020

Desenvolvida para aquecer as vendas durante a semana em que se comemora a independência do país, a Semana Brasil 2020 começa na próxima quinta-feira (3) e vai até 13 de setembro. A ação reúne lojas de diferentes setores, como alimentação, eletrônicos e eletrodomésticos, que se propõem a oferecer descontos aos consumidores.

Articulada pela Secretaria de Comunicação do governo federal (Secom) em parceria com o Instituto para Desenvolvimento do Varejo (IDV), a campanha traz como lema  “Vamos em frente, com cuidado e confiança”.  A veiculação de anúncios publicitários para atrair a atenção dos consumidores começa nesta segunda-feira (31).

Criada pela Secom em 2019, a Semana Brasil será coordenada este ano pelo Instituto para Desenvolvimento do Varejo (IDV). Segundo números levantados pela Ebit/Nielsen, o aumento em transações online durante o evento no ano passado foi de 41%, enquanto vendas no varejo presencial aumentaram 11,3%, de acordo com a Cielo.. “Estamos mobilizando todo o varejo para buscar as melhores formas de viabilizar as ações promocionais. Esta é uma ação totalmente suprapartidária, que trará benefícios para a economia do país como um todo”, afirma o conselheiro do IDV, Marcos Gouvêa de Souza.

“Faremos tudo isso com respeito às normas de segurança sanitária, com empresários e consumidores cientes da importância da manutenção e fomento das relações comerciais, bem como do cuidado com a saúde do próximo”, afirma Fábio Wajngarten, secretário executivo do Ministério das Comunicações.

“[A Semana Brasil] vai priorizar o pequeno e o médio comerciante. A Semana 2020 vai se tornar o ponto de partida de um novo tempo para o comércio, de normalização da relação econômica entre pessoas e empresas. Fizemos uma pesquisa sobre a aceitação da campanha e ela foi enorme. A gente quis fazer uma campanha de duração de 10 dias para que não houvesse nenhuma aglomeração, em parceria com os comerciantes”, afirmou Wajngarten.


Link do Autor

imagem_destaque_padrao.png

Covid-19: Pazuello e Fiocruz discutem como acelerar produção da vacina

O ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, e a presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Nísia Trindade Lima, discutiram hoje (31) formas de acelerar o cronograma da produção da vacina contra a covid-19 no Brasil. A vacina resultará de acordo entre a Fiocruz, a empresa biofarmacêutica global AstraZeneca e a Universidade de Oxford.

A parceria prevê a assinatura, na primeira semana de setembro, de um acordo de encomenda tecnológica e desenvolvimento de uma plataforma para fabricação de outras vacinas, como a da malária.

Anunciado em 27 de junho pelo Ministério da Saúde, o acordo resulta de tratativas entre os governos do Brasil e do Reino Unido. O governo federal liberou crédito extraordinário de R$ 1,9 bilhão para produção e aquisição da vacina contra a covid-19 produzida pelo laboratório AstraZeneca e Universidade de Oxford. Pelas previsões, as primeiras doses da vacina contra a covid-19 deverão ser distribuídas no início de 2021, por meio do Programa Nacional de Imunização (PNI), que atende o Sistema Único de Saúde (SUS).

No encontro com a presidente da Fiocruz, Pazuello disse que o ministério corre para acelerar o processo e disponibilizar, o mais rápido possível, a vacina que imunizará os brasileiros contra a covid-19. “O governo está investindo todos os esforços para entregar à população uma vacina segura e eficaz, com todo o cuidado e zelo necessários para a vida dos brasileiros.”

Inicialmente, deverão ser produzidas 100 milhões de doses a partir de insumos importados. A produção integral da vacina na unidade técnico-cientifica Bio-Manguinhos tem início estimado para abril do próximo ano.

Segundo Nísia Lima, a Fiocruz está mobilizando todos os recursos tecnológicos e industriais de que dispõe para que a população tenha acesso à vacina no menor tempo possível. “Estamos conversando com a Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária] e parceiros tecnológicos com o intuito de reduzir os prazos de produção, registro e distribuição da vacina”, disse Nísia.


Link do Autor

Toffoli dá 24 horas para STJ e PGR se manifestarem sobre afastamento de Witzel

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, deu prazo de 24 horas para que a Procuradoria-Geral da República (PGR) e o Superior Tribunal de Justiça (STJ) se manifestem sobre o pedido do governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, para retornar ao cargo. Após receber as informações, o ministro deverá decidir a questão. No sábado (29), a defesa de Witzel apresentou recurso para derrubar a decisão que determinou a medida. 

Na sexta-feira (28), Witzel foi afastado do cargo por 180 dias em decisão do ministro Benedito Gonçalves, do STJ. O afastamento foi determinado no âmbito da Operação Tris in Idem, um desdobramento da Operação Placebo, que investiga atos de corrupção em contratos públicos do governo do Rio de Janeiro.

A investigação aponta que a organização criminosa instalada no governo estadual a partir da eleição de Witzel se divide em três grupos que, sob a liderança de empresários, pagavam vantagens indevidas a agentes públicos. Os grupos teriam loteado as principais secretarias para beneficiar determinadas empresas.

Após ser afastado, Witzel negou o envolvimento em atos de corrupção e afirmou que seu afastamento não se justifica. 


Link do Autor

Em meio à bolha, US Open começa com seis brasileiros na disputa

Seis tenistas brasileiros estão na disputa do US Open, que começou nesta segunda-feira (31) em Nova Iorque (EUA). O aberto norte-americano é um dos quatro principais torneios do circuito mundial, os chamados Grand Slams, e é o primeiro do gênero disputado em meio à pandemia do novo coronavírus (covid-19).

Os primeiros atletas do país a estrear serão Thiago Monteiro e Thiago Wild, representantes nas disputas individuais. Ambos entram em quadra às 12h (horário de Brasília) desta terça-feira (1). Monteiro, número 83 do ranking da Associação dos Tenistas Profissionais (ATP, na sigla em inglês), enfrenta o canadense Félix Auger-Aliassime, 20º do mundo e cabeça de chave número 15. Já Wild, número 113 da ATP, terá pela frente o britânico Dan Evans, 28º do ranking e 23º cabeça de chave.

Os demais brasileiros competem nas duplas. A única representante do tênis feminino do país é Luísa Stefani, 39º do ranking da Associação de Tênis Feminino (WTA, na sigla em inglês), que joga com a norte-americana Hayley Carter, 36º do mundo. A parceria encara as irmãs ucranianas Lyudmyla e Nadiya Kichenok, que ocupam, respectivamente, as posições 35 e 38 da WTA.

Na chave masculina, o Brasil conta com três tenistas. Marcelo Melo e o polonês Lukazs Kubot, que dividem o sétimo lugar do ranking da ATP nas duplas, são os cabeças de chave número dois e estreiam contra os belgas Sander Gillé e Joran Vliegen, que ocupam as posições 36 e 44 do mundo.

Parceiro de Melo na seleção brasileira para as etapas de Copa Davis, Bruno Soares (27º do mundo) e o croata Mate Pavic (17º) medem forças com a forte dupla do argentino Horácio Zeballos (4º) com o espanhol Marcel Granollers (15º). Já Marcelo Demoliner (49º) e o holandês Matwé Middelkoop (62º) enfrentam o francês Nicolas Mahut (3º) e o alemão Jan-Lennard Struff (48º).

Bolha do tênis

Não é só na NBA, liga de basquete masculino norte-americana, que os atletas estão imersos em uma bolha de proteção para evitar o contágio em razão do novo coronavírus. Desde a chegada ao país, os jogadores obedecem a um protocolo sanitário rígido para terem condição de participar do US Open.

“A dinâmica da bolha passa a ser uma rotina que não é tão complicada assim, acaba acostumando. Eu e Lukasz não encostamos mais a mão. Falamos de longe como vamos jogar o ponto. Sentamos mais afastados. Dentro da bolha, está realmente muito seguro, seguindo um protocolo bem restrito. Máscara no restaurante, no vestiário, álcool gel e distanciamento social. Às vezes, até na quadra, eu sinto falta da máscara, desacostumado de ficar sem ela. Mas está tranquilo, os jogadores estão se adaptando muito bem”, explicou Marcelo Melo em comunicado à imprensa.

A pandemia afastou jogadores importantes do circuito, como o espanhol Rafael Nadal e a canadense Bianca Andreescu, atuais campeões de simples, o australiano Nick Kyrgios e a ucraniana Elina Svitolina, que preferiram não se arriscar em Nova Iorque. O francês Benoît Paire, que seria o cabeça de chave número 17 do torneio individual masculino, testou positivo para a covid-19 dentro da bolha, tendo que ficar em isolamento.

A competição ocorre sem a presença de torcedores. No caso das duplas, a chave foi reduzida de 64 para 32 parcerias. “É estranho entrar na quadra e não ter público. A torcida que está sempre presente de uma maneira tão especial, apoiando. Apesar disso, nunca vi tanto jogador feliz de competir novamente. Todo mundo se adaptando a este momento”, analisou Melo.




Link do Autor

imagem_destaque_padrao.png

Polícia leva Abdelmassih de volta à prisão no interior paulista

O ex-médico Roger Abdelmassih, condenado a 173 anos de prisão por 49 estupros, foi detido hoje (31) pela polícia de São Paulo e será levado de volta à penitenciária na cidade de Tremembé, no interior do estado. Abdelmassih, de 76 anos, cumpria prisão domiciliar desde abril, por ser considerado do grupo de risco para covid 19, a doença provocada pelo novo coronavírus.

Na decisão que determinou o retorno ao regime fechado, publicada na última sexta-feira (31), os desembargadores da Sexta Câmara de Direito Criminal argumentam que, apesar dos efeitos da pandemia do novo coronavírus serem extraordinários, a soltura indiscriminada da população carcerária pode levar ao caos social.

Uma recomendação do Conselho Nacional de Justiça orienta o desencarceramento como forma de combater o avanço da covid-19 nos presídios. Até agora, a prisão domiciliar para Adelmassih era uma exceção da Justiça paulista em relação ao tratamento dado à maioria dos presos que fazem parte do grupo de risco para a covid-19 no estado.


Link do Autor

Sâo Paulo oferece vagas gratuitas em cursos tecnológicos para mulheres

O governo de São Paulo abriu hoje (31) 20 mil vagas exclusivamente para mulheres que queiram fazer cursos na área de tecnologia da informação (TI). Os cursos são online e gratuitos e poderão ser feitos por mulheres que residam em algum dos 645 municípios do estado. As inscrições devem ser feitas até o dia 4 de setembro.

Estão sendo oferecidas quatro opções de cursos introdutórios, que serão ministrados por meio da plataforma da Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp). Os cursos têm duração de 80 horas e podem ser concluídos em três meses. As opções são cursos de lógica de programação, banco de dados, desenvolvedor web e desenvolvedor mobile.

As inscrições podem ser feitas no site www.cursosviarapida.sp.gov.br. Podem se inscrever candidatas a partir de 16 anos, alfabetizadas e domiciliadas no estado de São Paulo. Caso o número de inscritas seja superior ao de vagas, terão prioridade as pessoas desempregadas, com baixa renda e com deficiência.

A convocação das candidatas será por e-mail, e a previsão de início das aulas é 14 de setembro. Para receber o certificado, a estudante deve completar a carga horária total do curso e atingir nota média de 7,5 nas avaliações.

Curso avançado

Além de oferecer as 20 mil vagas, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico firmou parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) para disponibilização de 500 vagas em cursos avançados, preferencialmente para mulheres.

Os cursos são em diversas áreas de TI, com duração de 40 e 200 horas. As aulas virtuais serão ao vivo, com material didático e vinculados a uma unidade fixa do Senac. A preferência é para mulheres que já tenham feito os cursos virtuais introdutórios.


Link do Autor

imagem_destaque_padrao.png

Inscrições da Fuvest são abertas nesta segunda-feira

A Fuvest, vestibular que serve de entrada para a Universidade de São Paulo (USP), abriu nesta segunda-feira (31) inscrições para processo seletivo. O Manual do Candidato foi disponibilizado no dia 24 deste mês, e as inscrições para o exame ficam abertas até 23 de outubro no site www.fuvest.br. A taxa de inscrição para o vestibular é de R$ 182, e o pagamento pode ser feito até 27 de outubro.

A primeira fase será realizada no dia 10 de janeiro do ano que vem e as provas da segunda etapa, nos dias 21 e 22 de fevereiro.

Durante o exame, os candidatos deverão usar a máscara de proteção, que somente será retirada para realização do procedimento de reconhecimento facial. Além disso, serão tomadas as medidas sanitárias indicadas pela Organização Mundial da Saúde e pelo governo do estado de São Paulo.

Conforme informou a USP, os exames de habilidades específicas sofreram alterações em decorrência da pandemia de covid-19. As provas de música de São Paulo e Ribeirão Preto serão feitas em formato virtual, e a de artes cênicas, em formato misto. A área de artes visuais, por sua vez, excluiu a prova de habilidades específicas neste ano.

Para o próximo ano, serão oferecidas 11.147 vagas, das quais 8.242 destinadas à seleção pelo vestibular da Fuvest. As 2.905 vagas destinadas pela Universidade de São Paulo à seleção de estudantes pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu)/Enem estão mantidas.

Calendário

Período de inscrição: 31 de agosto a 23 de outubro de 2020

Prova da primeira fase: 10 de janeiro de 2021

Provas da segunda fase: 21 e 22 de fevereiro de 2021

Divulgação da primeira lista de aprovados: 15 de março de 2021.


Link do Autor